Publicado por: ernestomm | fevereiro 2, 2009

CORRENDO ATRÁS DO SONHO

Quando ainda era um estudante de Jornalismo da Universidade Federal de Minas Gerais fui indicado pelos professores a passar a ler Carta Capital. Na visão deles, essa semanal era mais informativa e menos tendenciosa que a Veja, além de também publicar matérias mais interessantes que sua concorrente. Comentei com mamãe e ela, que também gosta de se manter bem informada, passou a assinar a revista. Nos meses em que fui leitor assíduo dela, sempre me chamou atenção a seção “Brasiliana”. Nela são reveladas figuras desse nosso país: batalhadoras, pobres, ricas, extravagantes, loucas, enfim, alguém muito peculiar na sua maneira de ser, que, de certa forma, merece um espaço naquela página dupla que vem logo no início da revista. Como se, para que pudéssemos entender os fatos que acontecem no Brasil, antes, precisássemos primeiro compreender quem somos nós.

O Chiquinho, criador da TV Muro de Sabará, é alguém que sempre quis conhecer, desde quando entrei para a Faculdade. Vejo nele um pouco de mim e de tantos outros sonhadores. Na falta de uma oportunidade para estudar e trabalhar numa emissora, ele, que sempre foi um apaixonado por televisão, acabou criando para si uma rede de  TV – a menor do mundo, e, com ela, pôde realizar o seu maior sonho: ser famoso.

Não por acaso, sou eu quem assina a “Brasiliana” desta semana, contando a história do Chiquinho. É mais um sonho meu que se realiza: publicar no espaço que tanto li, escrevendo sobre alguém que tanto admiro. Infelizmente a matéria só está completa na revista impressa. No site dá para ler apenas um pedacinho: http://www.cartacapital.com.br/app/materia.jsp?a=2&a2=6&i=3252 Espero que consigam ler o texto na íntegra para conhecer esse personagem que encontrei correndo pelo meu caminho e que me mostrou que tudo é possível. Ainda não deu a largada em direção ao seu sonho? Tá esperando o quê? “Um dó-lá-si, vamos ir e… já!”

*Na viagem para Sabará levei comigo um fotógrafo “dos bão”, que tirou as fotos que ilustram a matéria, o Raoni Maddalena. Taí mais um motivo para procurarem a revista nas bancas.

Anúncios
Publicado por: ernestomm | janeiro 30, 2009

PARENTE`S DAY

Aproveitando o clima de Obama no ar, preciso confessar uma coisa. Eu admiro algumas das invenções dos norte-americanos. Com tantas coisas fúteis que eles inventam, é duro admitir isso, mas é verdade. Quando morei nos Estados Unidos, em 2005, pude ver que algumas delas são realmente úteis. Não tem um dia lá no qual os filhos vão conhecer o ambiente de trabalho dos pais? Pois é. Se tivesse tido isso quando criança saberia desde cedo o que minha mãe faz. Isso teria me poupado de algumas vezes subvalorizar sua profissão com a resposta: “Ah, ela é professora…” Hoje sei que professor é exatamente igual ao Reino Animal: uma infinidade de classes, ordens, gêneros e espécies.

Neste mês de Janeiro pude conhecer um pouco mais da profissão da minha irmã que é comissária de bordo (aeromoça, pra quem não sabe, é um termo em desuso). Essa, sem dúvida,  é uma profissão que está bem presente no imaginário das pessoas. Pois no voo do Airbus A330, para Manaus, pude saber mais sobre como é a vida nos ares. Apesar do glamour, da maquiagem perfeita e do uniforme impecável, uma comissária vive fazendo uma dieta difícil de digerir. É cada coisa que elas tem que engolir… A começar pela má educação e falta de respeito de muitos passageiros. Já perceberam aquele tipo que aperta o botão para pedir de tudo: Plim! “Você poderia me trazer uma água? É que não consigo esperar 10 minutos até vir o serviço de bordo, sabe?” Pra mim, esses tem um sério problema. Até hoje não se conformam com o fim da época “Casa-Grande e Senzala” que existiu nesse país. Plim! “Mas traz bem geladinha, hein?”

Entre um "plim" e outro, um gole de café com leite

Entre um "plim" e outro, um gole de café com leite

O pior é não serem reconhecidas/reconhecidos pelo seu trabalho, que vai muito além do serviço de bordo. Quem aí ouviu um elogio sequer sobre a equipe de comissários do avião que pousou no rio Hudson em Nova York? O piloto com certeza mereceu cada linha de elogio que saiu sobre ele na mídia. Mas e a equipe que foi treinada e que teve que manter a calma na hora de tirar todos os passageiros de lá?

A parte das viagens tem lá o seu lado bom. Em Manaus ficamos no melhor hotel da cidade e tivemos um dia inteiro livre. Conhecemos o Teatro Amazonas e a praça no seu entorno. Se tivesse feito sol, teríamos aproveitado ainda mais a piscina do Hotel Tropical que tem na sua paisagem o Rio Negro. Nessa viagem queria ter levado minha mãe para que ela pudesse ver a filha em ação. Eu, finalmente, pude vê-la. Comissária Elisa Magalhães, minha ilustre irmã, você está de parabéns =)

Pra irmão de comissária, Manaus é logo ali - hehe

Pra irmão de comissária, Manaus é logo ali - hehe

Publicado por: ernestomm | janeiro 8, 2009

PEGANDO LEVE NO REVEILLON

Passar a virada do ano no Rio de Janeiro, na praia de Copabacana, é o sonho de toda criança que assistiu aquela festa toda pela televisão. Eu sou uma delas. E este ano foi minha primeira vez lá. Mas como já disse aqui antes, realidade é realidade e TV é TV. Na telinha não dá para sentir a mesma emoção, ao ouvir a explosão dos fogos no meio daquele povão todo. Muito menos sambar na areia (o que é possível!) ao som da Martinália e perceber que, enquanto a música rola solta, o poder paralelo faz questão de mostrar (depois do show oficial) que eles também fazem festa com fogos adquiridos por conta própria. Como o Rio é o Rio, maravilha e caos andam juntas no mesmo local. Ou o Bracarense – bar típico carioca – não seria aquele fuzuê todo. Meus amigos que me acompanharam até lá que o digam…

Depois da hora de a Cinderela virar abóbora, lá fui eu descobrir se a tal festa no Arpoador, que dura até altas horas da manhã, existe mesmo. Ela existe sim e, segundo quem já foi, está mais cheia a cada ano que fica mais velho.

O que resumem esses 9 dias de praia é a frase que ouvimos perto da meia-noite. “Olha a chuva… É mentira! Olha a cachaça… É verdade!” Por mais que TODOS os sites de previsão de tempo avisassem, não choveu 80% do que foi previsto pela meteorologia. Já a água-que-passarinho-não-bebe desceu goela abaixo na Devassa, na Casa Matriz, no Antonio`s, no Odorico e na quadra do Salgueiro. No reduto vermelho-e-branco pude adicionar mais uma anedota para meu livro de coincidências. Eu, que já saí no site da Joyce Pasco”witch” como amigo de Paulinho Vilhena, estava lá no mesmo dia da comemoração dos seus 30 anos. Dish aê… sou tão amigo que nem precisei do convite! Da próxima vez, me indentifiquem como “bródi” do cara, morô?

Aliás, já começei o ano bem. Continuo 90% sexy, segundo o Orkut, e ganhei uma comunidade lá: http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=79347817 , graças à minha querida amiga (e companheira da inesquecível viagem ao sul da Bahia em 2003 – Miss Clarice Darcy). Só falta ter mais saúde, mais dinheiro, amor e paz. Mas não se preocupem, pois já estou correndo atrás 😉

OBS.: Dessa vez não precisei querer levar, pois meus queridos amigos Tati e Calumbi estavam lá para dividir as alegrias (e as contas dos bares) comigo. Ufa!

Os dois sambando?!

Os dois sambando?!

Publicado por: ernestomm | janeiro 2, 2009

BRINDEMOS AO ANO NOVO

2009 começou com uma novidade nas páginas da revista VIP, na edição de Janeiro. É uma das matérias que trouxe da Europa. Os (vários) momentos em que sentei para tomar “uma” na Alemanha, Bélgica, Holanda, Inglaterra e Áustria acabaram rendendo uma matéria sobre as curiosidades das cervejas fabricadas em cada um desses países. Nada como transformar minutos de ócio em ossos do ofício. É a mágica do jornalismo. Plim!

Leia a matéria no site: http://vip.abril.com.br/edicoes/286/a-europa-em-5-cervejadas.shtml

Transformando cerveja em risadas num restaurante em Salzburgo

Transformando cerveja em risadas num restaurante de Salzburgo

Publicado por: ernestomm | dezembro 23, 2008

MINAS AFORA

Depois de cruzar a Europa de um lado para o outro e de cima pra baixo, nos meses de Outubro e Novembro, o mês de Dezembro foi tempo de voltar para casa e explorar o interior da minha Minas Gerais. Ribeirão da Neves, Sabará, Milho Verde, São João da Chapada, Quartel do Indaiá e Diamantina foram os destinos rodados por um jornalista e um fotógrafo paulista, marinheiro de primeira viagem pelas estradas de terra mineiras.

Raoni Maddalena em ação

Raoni Maddalena em ação

É impressionante o que podemos levar de uma simples viagem que não precisou de passaporte, seguro-saúde, mapas em línguas estrangeiras e tourist information offices. Gentileza, humildade, aconchego, sorrisos e abraços são coisas que nem sempre você encontra em Paris, Madri e Londres. Aliás, desculpe a sinceridade, mas um café feito com água de garapa deu de dez no chocolate que tomei em Milão. Mas não se engane. A idéia aqui não é fazer um post blasé, comparando o incomparável, para dizer que a simplicidade supera as excentricidades. Cada cantinho desse mundo tem seu charme e só viajando mesmo para entender e se permitir se surpreender com as pequenas coisas da vida.

Gente que passa pela gente

Gente que passa pela gente

Dedico este post a Dona Lúcia e a Seu Pedro (que estão na foto acima). De certa forma, vou levá-los comigo nas minhas próximas viagens.

Publicado por: ernestomm | dezembro 16, 2008

POR TRÁS DA CORTINA

Algumas semanas atrás, uma viagem pela Rodovia Anhanguera me levou até aos estúdios do SBT. Não era a primeira vez que visitava a “Disneyworld do Patrão”, mas seria a primeira vez que o veria ao vivo e pessoalmente. Estava tudo combinado. Quem me levaria até o estúdio lotado de mulheres vindas das caravanas de não-sei-lá-aonde seria uma figura com DNA da televisão brasileira. A produtora e filha da Vovó Mafalda(!) me pegou pela mão e me levou até a ante-sala da gravação do Programa Sílvio Santos. Ali pude observar o corre-corre das meninas de roupão. Sim! Eram as dançarinas que se equilibram em cima dos copos de acrílico em ritmo de festa. (Queria muito que a Carol Canguçu – minha amiga da UFMG – estivesse lá para mostrar a elas o passinho que aprendeu com as dançarinas do Faustão).

“Ele mudou o roteiro e vai atrasar para começar” – fala alguma outra produtora pelo rádio. Enquanto isso, transformistas (é claro que é só no SBT que elas são chamadas assim) fumam o último cigarro antes de entrar para o camarim. E antes de entrar em cena, os dubladores do “Qual é a Música?” fazem rápidos telefonemas, já com seus uniformes de trabalho: camisa de seda VERMELHA e vestido drapeado LILÁS. No meio disso tudo, Liminha, assistente de palco, me conta que até hoje todo mundo o pára na rua para perguntar se os prêmios que o Sílvio distribui nos seus programas são de verdade, se o Gugu é mesmo gay (como se a maioria ainda não soubesse…) e, recentemente, se a Maysa é um truque. “Como assim truque?”. Bom, melhor não perguntar… Assim como Regina Duarte em 2002, fiquei com medo da resposta.

Chega a hora de entrar. Nos corredores que dão para o palco, ouvi aquela voz grave e a risada inconfundível. “Quem quer dinheiro?” Há 5 anos eu me vesti de Sílvio Santos para receber os calouros do nosso curso de Comunicação da UFMG e há poucos dias pude rever na sala da minha casa esse momento impagável e inapagável da minha história. Assim será também o dia que vi Senor Abravanel “montado” jogando dinheiro pra cima e dando risadas programadas em sketches hiper sem graça com seu “escadinha” Roque, que , por sinal estava bastante mal-humorado. Televisão é assim, só deve ser vista com o material cortado, editado e no ar.

Já que ele não deixa ser fotografado, vai ai um flash da rainha dos flashes

Já que ele não deixa ser fotografado, vai aí um flash da rainha dos flashes

Publicado por: ernestomm | novembro 28, 2008

VOLTEI! (E DAQUI NÃO SAIO MAIS)

Depois de toda viagem vem a hora de voltar para casa. Arrumar a mala, sentar nela, esperar junto dela no aeroporto… Depois da chegada vem a hora de rever os amigos, os familiares, os editores das revistas! Quem pensou que depois de voltar dazeuropa eu não iria postar de novo… apostou errado! Bleh!

A minha primeira longa viagem “sozinho” foi o pontapé para começar um blog e escrever sem compromisso, a não ser aquele que tenho comigo de deixá-los saber onde estou, o que venho aprontando e quem eu queria levar comigo por cada lugar que eu ainda vou passar nessa minha vidinha mais-ou-menos 😉

Penny e yo catching up

Penny e yo catching up

No link abaixo, o álbum que fiz no Facebook dos meus encontros como esse aí.

http://www.facebook.com/album.php?aid=2151837&l=3f587&id=21310167

Publicado por: ernestomm | novembro 12, 2008

QUIZ PARIZ

Pra quem gostou e se divertiu no último post na brincadeira de contar a palavra moda, aqui vai outra mais divertida ainda: o QUIZ PARIZ.

Você que é metido e diz que sabe tudo sobre a capital da França e, ao invés de falar seu nome, insite em chamá-la de “cidade luz”. Você que se diz amante das artes e que perde seu tempo tirando 547 fotos em frente ao Louvre (sendo que 379 delas você vai apagar depois porque o cabelo não tava na posicão certa) e mais 1.863 fazendo pose em frente a Monalisa, mas, sequer, entra no Orsay, Pompidou e demais galerias do bairro Saint Germain. Você que adora esbanjar que pagou 300 euros para ir ao Moulin Rouge porque ama a cultura francesa (só porque lá é o único lugar que vai poder ver mulher com peito de fora ao lado da sua namorada). Pois chegou a sua hora de testar seus conhecimentos sobre a verdadeira Paris que realmente poucos conhecem.

Pergunta número 1: O que serviu de inspiração para a confecção da estátua a seguir que se encontra em frente ao Museu do Louvre?

img_2622

A) Cena do filme Titanic protagonizada pela atriz Kate Winslet na qual sua personagem posa para um desenho.

B) Jogos de luta de videogames.

C) A rainha Maria Antonieta após escorregar, fato histórico da história francesa, conhecido como a “Queda da Bastilha”.

Pergunta número 2: Caetano Veloso (quando estava se sentindo completamente nu sem sua música na época em que viveu refugiado na Europa) ao passear por Paris, se inspirou nessa outra estátua para escrever uma das suas letras mais ferinas. A resposta certa é:

img_2814

A) Tigresa

B) Leãozinho

C) Comeu

Pergunta número 3: Qual dessas celebridades morreu num acidente de bateaux-mouche em Paris?

img_28391

A) A princesa Diana em 1997,  depois de fugir de vários fotógrafos que a perseguiam utilizando snorkels e pés-de-pato de alta velocidade, mais conhecidos como paparasos.

B) A atriz global Yara Amaral em 1988, quando estava celebrando o ano novo, mais conhecido na França como Réveillon.

C) Nenhuma das respostas acima.

Pergunta bônus (para minha família): Com qual “personagem” das várias histórias dos Magalhães eu me pareço, nessa foto:

img_2821

A) Espírito

B) As “esbeautyfulls”

C) O Mestre

Gabarito: 1 – B (é claro, ora! Ou você não reconheceu o chute do Dalsin do Street Fighter?); 2 – A (olha a unha negra bem ali…); 3 – C (pois, convenhamos, celebridade que é celebridade não morre, vira purpurina); Bonus – C (quem mais seria com aquele chapeaux?)

Publicado por: ernestomm | novembro 12, 2008

TELEVISÃO: CONEXÃO MILÃO

Boa noite, senhores leitores. Fiquei fora do ar nos 4 dias que estive na Itália pela falta de conexão. Foi mal se fiquei “milanos” sem postar (desculpem, mas TINHA que usar esse trocadalho -rárá) é que eu só conseguia checar e-mails de uma rede que consegui pescar no ar na entrada do prédio de onde fiquei hospedado.

Minha anfitriã, mais do barulho do que o hóspede aqui, foi a Marcelinha, colega da Comunicação. A espevitada jornalista de moda me carregou para lugares bacanas e mostrou tudo o que a cidade tem para oferecer aos turistas: lojas, lojas e mais lojas. Agora, se minha irmã Elisa ou minha prima Fernanda estão esperando receber presentes Dolce & Gabbana & companhia limitada de outras marcas da moda, podem ir tirando o cavalinho da chuva. (mais sobre chuva no 4o bloco…) Tô mais para mandar fazer uma camiseta escrita “fui a Milão e não comprei nada, a não ser esta mísera camiseta”. Aliás, que idéia genial essa! Acho que essa moda ainda pega, hein…

Descobri que sou mesmo bom de inventar moda. Depois de chegar da rua, levava meu laptop pro saguão da entrada do prédio da Marcelinha. Toda hora que algum morador entrava no prédio, ele me olhava e fazia cara de desprezo. Já no terceiro dia, o pessoal começou a se interessar e perguntavam como eu conseguia conectar. Depois me diz, Marcelinha, se não tá todo mundo aí fazendo fila no “lobby café” =)

img_2398

Quanto ao weather forecast (com sotaque de apresentador da BBC News) Milão não deu trégua e nos dias que estive lá choveu pra burro. Como assim correspondentes italianos: Celina, Raoni, Lissa e Calumbi? Que não me reportaram que lá é conhecida como cidade cinza? Má qué?! (com mãos gesticulantes) Mas, daí, o espertinho aqui perdeu o vôo na sexta-feira para Paris, o que me forçou permanecer mais um dia lá. Adivinhem o que aconteceu? O sol saiu no sábado. Diz aí: tem ou não tem treta minha na jogada?

Eu com olhos apertadinhos ao tirar foto contra o sol

Olhos inchados de tanto chorar pelo vôo perdido e apertadinhos de posar contra o sol

Dica para se divertir com esse post: contem quantas vezes eu disse “moda” ao falar de Milão. Quem acertar vai comigo pra lá na próxima vez 😉 E seguimos com nossa programação…

Publicado por: ernestomm | novembro 9, 2008

VOU PULAR EM CIMA DE VOCÊ

Meus amigos do Curso Abril de Jornalismo sabem que eu queria muito estar presente no dia das fotos dos pulos: http://picasaweb.google.com/larissa.ribeiro/CursoAbril2008PulosEtc# Quem não iria querer uma foto assim? Elas ficaram tão bacanas que foram utilizadas depois na revista Plug, que contou um pouco da nossa trajetória, e no “making of” do Curso Abril

Mas, por alguma obra do destino (ou da ressaca do dia anterior) eu não estava presente. Em homenagem aos meus novos queridos amigos que fiz neste ano de 2008 em São Paulo aí vai uma tentativa de pular bonito assim como vocês pularam.

Jackson Pulo em frente ao Lentos Museum

Jackson Pulo em frente ao Lentos Museum

Air Guitar Wannabe, agora com a luz do museu

Air Guitar Wannabe, agora com a luz do museu

« Newer Posts - Older Posts »

Categorias